Eurovision 2022: saiba em que colocação a Itália ficou

A Itália não conseguiu a quarta conquista do Eurovision. A final da edição de 2022 ocorreu neste sábado (14) e consagrou os ucranianos da Kalush Orchestra, com Stefania.

Mahmood e Blanco, que concorriam com Brividi, canção vencedora do Festival de Sanremo deste ano, ficaram em sexto lugar.

Por conta da vitória da banda Måneskin no ano passado, o país sede deste ano foi a Itália. Eles estiveram presentes e apresentaram a nova música Supermodel, pela primeira vez.

Laura Pausini apresentou o evento ao lado de Alessandro Cattelan and Mika. A condução do trio foi bastante elogiada.

Gigliola Cinquetti também foi convidada e relembrou Non Ho L’età, música com a qual venceu o Eurovision em 1964.

O entendimento é de que a banda ucraniana venceu por méritos, porém é importante destacar a mobilização de votos por toda a Europa. O próprio presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, fez um vídeo em que convidada o continente a votar nos representantes do país.

Quantas vezes a Itália venceu o Eurovision?

Três vezes:

1964: Gigliola Cinquetti, com Non Ho L’età.
1990: Toto Cotugno, com Insieme.
2021: Måneskin, com Zitti E Buoni.

A música italiana concorrente

Brividi, com Mahmood e Blanco.

Ho sognato di volare con te
Su una bici di diamanti 
Mi hai detto, “Sei cambiato 
Non vedo più la luce nei tuoi occhi” 

Sonhei que eu voava com você
Em uma bicicleta de diamantes
Você me disse: “você mudou
Não vejo mais a luz nos seus olhos”

La tua paura cos’è?
Un mare dove non tocchi mai
Anche se il sesso non è
La via di fuga dal fondo
Dai, non scappare da qui
Non lasciarmi così

Qual é o seu medo?
Um mar onde você nunca toca
Mesmo que o sexo não seja
A rota para fugir do fundo
Vamos, não fuja daqui
Não me deixe assim

Nudo con i brividi
A volte non so esprimermi
E ti vorrei amare, ma sbaglio sempre
E ti vorrei rubare un cielo di perle
E pagherei per andar via
Accetterei anche una bugia
E ti vorrei amare, ma sbaglio sempre
E mi vengono i brividi, brividi, brividi

Nu com arrepios
Às vezes não sei me expressar
E queria te amar, mas erro sempre
E queria te roubar um céu de pérolas
E pagaria para ir embora
Aceitaria também uma mentira
E queria te amar, mas erro sempre
E me vêm os arrepios, arrepios, arrepios

Tu, che mi svegli il mattino
Tu, che sporchi il letto di vino
Tu, che mi mordi la pelle
Con i tuoi occhi da vipera
E tu, sei il contrario di un angelo
E tu, sei come un pugile all’angolo
E tu scappi da qui, mi lasci così

Tu, que me acordas pela manhã
Tu, que sujas a cama de vinho
Tu que me mordes a pele
Com os teus olhos de víbora
E tu, és o contrário de um anjo
E tu, és como um pugilista no canto do ringue
E tu escapas daqui, me deixas assim

Nudo con i brividi
A volte non so esprimermi
E ti vorrei amare, ma sbaglio sempre
E ti vorrei rubare un cielo di perle
E pagherei per andar via
Accetterei anche una bugia
E ti vorrei amare, ma sbaglio sempre
E mi vengono i brividi, brividi, brividi

Nu com arrepios
Às vezes não sei me expressar
E queria te amar, mas erro sempre
E queria te roubar um céu de pérolas
E pagaria para ir embora
Aceitaria também uma mentira
E queria te amar, mas erro sempre
E me vêm os arrepios, arrepios, arrepios

Dimmi che non ho ragione
E vivo dentro una prigione
E provo a restarti vicino
Ma scusa se poi mando tutto a puttane e
Non so dirti ciò che provo, è un mio limite
Per un “ti amo” ho mischiato droghe e lacrime
Questo veleno che ci sputiamo ogni giorno
Io non lo voglio più addosso
Lo vedi, sono qui
Su una bici di diamanti, uno fra tanti

Me diz que eu não tenho razão
E vivo dentro de uma prisão
E tento permanecer perto
Mas desculpa se depois mando tudo para a pqp
Não sei te dizer isso que sinto, é um limite meu
Para um “te amo” misturei remédios e lágrimas
Esse veneno que cuspimos um no outro todos os dias
Eu não quero mais sentir isso
Você vê isso, estou aqui
Em uma bicicleta de diamantes, um entre tantos 

Nudo con i brividi
A volte non so esprimermi
E ti vorrei amare, ma sbaglio sempre
E ti vorrei rubare un cielo di perle
E pagherei per andar via
Accetterei anche una bugia
E ti vorrei amare, ma sbaglio sempre
E mi vengono i brividi, brividi, brividi

Nu com arrepios
Às vezes não sei me expressar
E queria te amar, mas erro sempre
E queria te roubar um céu de pérolas
E pagaria para ir embora
Aceitaria também uma mentira
E queria te amar, mas erro sempre
E me vêm os arrepios, arrepios, arrepios

Fotos: EBU/SARAH LOUISE BENNETT

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts relacionados